Presidente do Cruzeiro explica reforços e comenta sobre investidor: “Torcida está encantando”

“SAF e a aprovação da matéria são primordiais e essenciais para existência do Cruzeiro”, diz Sérgio Santos; dirigente explica o motivo da busca por perfil de experiência para o elenco em 2022

A sexta-feira marca um dia importante para a política e para os rumos que o Cruzeiro irá tomar a partir de agora. O clube irá votar a aprovação para que possa negociar até 90% das ações da SAF com investidores. Em entrevista à Globo, Sérgio Santos Rodrigues comentou sobre a montagem do elenco para a 2022, a expectativa da aprovação e a busca por quem irá aportar um grande volume de dinheiro no clube.

A SAF e a aprovação da matéria são primordiais e essenciais para existência do Cruzeiro

– A gente está aí. Muita confidencialidade (sobre quem será o investidor). A gente tem que continuar trabalhando e mostrar ao mercado que o Cruzeiro é um ótimo produto. Nossa torcida já mostrou isso, no último jogo, o time não praticando quase mais nada, mas a torcida mostrando seu papel.

A torcida já mostrou isso. Ela já está encantando os investidores. As contratações recentes ajudaram, e o investidor viu, fazendo um time competitivo para o ano que vem.

A chegada do investidor depende bastante, segundo o clube mineiro, na aprovação da alteração do estatuto nesta sexta-feira. Sérgio Santos Rodrigues explicou o porquê da necessidade da mudança no estatuto.

– Muita gente pergunta, quanto vale? O que que vai passar? Como vai ser? Eu falo, gente, qualquer transação comercial, é o preço que o mercado fala. Como a gente falou, a gente já havia assinado documentos de confidencialidade, termos de confidencialidade, para trocar documentos para os potenciais investidores entender mais a fundo. O que a gente sentiu nestas conversas depois, foi o desinteresse das pessoas colocar o dinheiro e não ter maioria (do percentual das ações).

Alguns argumentavam: ‘Beleza, vou assinar com você, mas daqui dois anos tem eleição para presidente, se chegar alguém no Cruzeiro, como alguém chegou infelizmente e fizeram com o Cruzeiro o que se nunca imaginou. Aí cancela isso tudo. Não vou fazer investimento para ter menos’.

O dirigente ainda disse que o percentual a ser adquirido pelo investidor dependerá da negociação comercial.

– Então, a gente acabou optando por sugerir a alteração no estatuto, permitindo que se aliene mais de 49%, podendo chegar a 90%, o que não quer dizer que vai vender 90%. Pode vender 50, 60, 70. Vai depender do mercado, da proposta que vai ser feita.

SAF é solução?

Para Sérgio Santos Rodrigues, não a única. Mas a mais rápida para o momento crítico do Cruzeiro.

– Desde que a gente entrou, em junho de 2020, a gente falava. Não é a solução do futebol brasileiro, mas do Cruzeiro é a melhor e mais rápida e solução. Do tamanho que a gente foi jogado, como eu falo e a torcida, e o que aconteceu aqui, como o Andrés Sanchez diz, não foi má gestão, foi roubo, infelizmente. Então, é diferente. Do tamanho do buraco que a gente entrou, de pandemia, de dívidas, é a única solução. Muita gente fala que não concorda, mas eu peço a solução. É muito fácil falar que não concorda sem apresentar pelo menos uma solução.

Contratações

Além da concretização do projeto do clube-empresa, o Cruzeiro também mira a montagem do elenco para 2022. Até agora, foram nove jogadores anunciados pela Raposa. Boa parte deles é de um perfil de experiência.

– O nosso perfil foi buscar jogadores experientes, que se destacaram nas suas respectivas posições. O Filipe Machado, mesmo, é um da casa. Estava muito bem aqui, saiu e resolveu voltar. O resto são esses perfis, de idade 28, 29, talvez um pouco pra cima, mas que fizeram bons campeonatos, caso do Fernando Neto, no Vitória, no Pedro Castro, do Botafogo, o João Paulo, que vem há três anos fazendo bons campeonatos na sua posição. Era uma carência que tinha de posição. O próprio Edu que performou muito bem. Acho que o objetivo foi esse. Buscar reforços experientes, mais rodados, e até os recentes, como o Sidnei e o Maicon, que tem rodagem internacional muito grande.

Vanderlei Luxemburgo e Sérgio Santos Rodrigues, do Cruzeiro — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Vanderlei Luxemburgo e Sérgio Santos Rodrigues, do Cruzeiro — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Um questionamento que muita se faz é que o Cruzeiro vem contratando sem ainda ter definido o investidor do clube. Sérgio Rodrigues explicou:

– Acho pouco provável (que o investidor não queira as contratações). Primeiro porque a qualidade e o nível do trabalho, pelos elogios que estão sendo feitos, inclusive com jogadores que clubes de Série A gostariam de levar e que estão vindo para cá por causa do projeto. Segundo que o investidor sabe quem vai mexer com isso, porque futebol é muito dinêmico. Vamos conseguir investidor para janeiro? Fevereiro? Não sei quando vai ser. Se o Cruzeiro não tem contratações, ele não quer ir para um time que não tem perspectiva de subir. Hoje o humor é muito favorável ao time, à estrutura que o Cruzeiro está formando.

Acho que o investidor quer ver esse sucesso e vê essa possibilidade com que o Cruzeiro trouxe.

Confira outros trechos da entrevista com o presidente do Cruzeiro:

Por que manter 10% das ações da SAF?

– Só o Cruzeiro que tinha essa brecha estatutária, e alguns discutiam o que iriam querer. Mas, ao fim, chega a conclusão que o melhor seria isso. A gente mantém os 10% para dar aquela proteção. Cruzeiro é um clube de muita proteção, formado por famílias italianas e esses 10% mantém um voto especial para manter o nome do clube, cores do clube. E vai manter os 10% para isso.

Há um preferência de porcentagem para se negociar?

– Depende da proposta. É difícil saber. O próprio Pedro (Mesquita, da XP Investimentos) fala isso. Nem sempre a melhor proposta é a a que vai pagar mais, porque vai me pagar mais, porque às vezes vai me pagar mais num prazo que não me atende. Dependendo a melhor proposta é que a que entra alguma coisa, que vai permitir resolver os problemas. Que vai nos permitir ter um acordo de gestão. Tem que analisar caso a caso. Difícil dar um palpite, sem saber no papel o que está sendo colocado.

Qual será o papel do presidente da SAF?

– Estou presidente do clube, que vai ser sócio da SAF. Meu certamente vai ser esse, defender os interesses do clube. Meu papel, primeiramente, vai ser defender os interesses do Cruzeiro, com participação minoritária na Sociedade Anônima do Futebol, com isso tenho assento no conselho de administração. Vamos preservar os interesses do clube. Quanto a demais papeis, aí vai ser com o investidor. Ele pode chegar e querer que eu ajude na gestão. Vai depender de quem vai vir e depender do papel que será desempenhado. Vou sempre defender a associação do clube.

Fonte:ge.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.