Plano A do Atlético-MG, Jorge Jesus comandou única campanha superior à do clube na história do Brasileirão

Com o Flamengo em 2019, técnico português alcançou a impressionante marca de 90 pontos no Campeonato Brasileiro

A campanha vitoriosa do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro de 2021 é histórica em vários sentidos. O título que recolocou o clube no lugar mais alto do país após 50 anos, a maior sequência de vitórias como mandante, o recorde de triunfos seguidos no torneio (ao lado do Inter). Foram impressionantes 84 pontos conquistados pelo Galo de Cuca, número que, na era dos pontos corridos, só perde para o Flamengo de Jorge Jesus, em 2019 (90).

Agora, com o anúncio da saída de Cuca, o desligamento de Jesus do Benfica e a clara preferência da cúpula alvinegra pelo nome do português, o destino pode colocar o comandante daquele Rubro-Negro à frente do Atlético em 2022.

Em 2019, Jesus comandou o Flamengo em uma temporada histórica, com as conquistas da Libertadores e do Campeonato Brasileiro. Uma campanha irretocável na competição nacional, com 90 pontos conquistados ao longo de 28 vitórias, 6 empates e apenas 4 derrotas – 78,9% de aproveitamento.

Dois anos depois, com o português já de volta ao país-natal para comandar o Benfica, o Galo de Cuca, Hulk e companhia saiu de uma fila de 50 anos no Brasileirão com outra campanha quase tão avassaladora. Os 84 pontos conquistados em 26 vitórias, 6 empates e 6 derrotas (aproveitamento de 73,7%) renderam o segundo melhor desempenho da história dos pontos corridos.

Assim como o Flamengo de 2019, o Galo também fecha 2021 com três novos troféus na galeria: Mineiro, Brasileiro e Copa do Brasil. A expectativa era pela continuidade do trabalho de Cuca, mas com a saída inesperada, o destino pode Atlético e Jorge Jesus do mesmo lado desta vez.

Jesus e Galo quase estiveram juntos em 2019

Curiosamente, Atlético e JJ quase construíram uma caminhada juntos no ano histórico do treinador pelo Flamengo. Isso porque antes de aceitar o convite carioca, o português foi procurado pelo Galo, e chegou a vir a Belo Horizonte assistir a uma partida na Arena Independência.

Técnico português Jorge Jesus assistindo a jogo no Independência ao lado de conselheiros do Atlético — Foto: Reprodução/Premiere

Técnico português Jorge Jesus assistindo a jogo no Independência ao lado de conselheiros do Atlético — Foto: Reprodução/Premiere

Um convite chegou a ser feito, mas a realidade técnica e financeira do Galo em 2019 distanciaram um acerto. Para brigar por títulos, como o português gostaria, o investimento em reforços teria de ser gigantesco – algo fora da realidade naquele momento.

Agora, porém, a realidade é outra – quase oposta. O Galo tem um elenco pronto para brigar por (mais) títulos e tem o colegiado de empresários (o chamado grupo dos 4 R’s) disposto a investir por Jorge Jesus. Dinheiro, portanto, não é mais o maior dos problemas

Sem Cuca, Atlético-MG mira Jorge Jesus: “Esse match já aconteceu em 2019”

O nome de JJ é o amplo favorito tanto da cúpula alvinegra quanto da torcida atleticana para o comando técnico do time em 2022. Com a saída dele confirmada do Benfica, a diretoria já iniciou a primeira sondagem com o staff do português para as saber as condições de uma eventual proposta.

Agora, porém, uma outra questão pode acabar sendo entrave para o acerto, e diz respeito à metodologia. O Galo está muito satisfeito com o trabalho da atual comissão técnica fixa, e pretende que nomes como o do preparador de goleiros, Rogério Maia, e do preparador físico, Cristiano Nunes, permaneçam no clube.

Caso Jorge Jesus faça a exigência de voltar para o Brasil com uma comissão técnica extensa, que não daria espaço para o atual grupo de trabalho do Galo, as conversas podem parar por aí. E neste cenário, um outro nome ganha força nos bastidores: Odair H

Além de Jorge Jesus, Atlético-MG tem dois nomes no mercado brasileiro para substituir Cuca

O treinador catarinense, de 44 anos, está no Al-Wasl, dos Emirados Árabes. No Brasil, treinou Inter e Fluminense – dois trabalhos bem avaliados pela cúpula do Atlético. É um nome no radar, mas, neste momento, apenas isso. O técnico pode ganhar força em caso de insucesso da tentativa atleticana por Jesus

Odair Hellmann pelo Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos — Foto: Divulgação

Odair Hellmann pelo Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos — Foto: Divulgação

Fonte:ge.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.