Jorge Jesus pode ser o 14º técnico estrangeiro do Atlético e o primeiro europeu após 76 anos

Depois de Cuca pedir demissão, o Atlético mira o futebol europeu, mais precisamente Portugal, para encontrar seu treinador da temporada 2022. Jorge Jesus, que deixou o Benfica nessa terça-feira (28), é o principal alvo da diretoria do Galo para comandar a equipe. Caso o português seja contratado, ele será o 14º técnico estrangeiro da história do clube alvinegro.

O primeiro treinador nascido fora do Brasil a comandar o Atlético foi o húngaro Eugenio Marinetti Medgyessy. Em duas passagens, em 1928 e 1931, ele orientou a equipe em 53 jogos e não conquistou título.

Quatorze anos depois, o Galo contratou outro técnico vindo da Hungria. Ignác Amsel esteve apenas dez partidas à frente do time alvinegro. Desde sua passagem pelo clube, em 1945, o Atlético não tem um treinador europeu, como pode acontecer agora com Jorge Jesus.

Além disso, o ex-treinador do Benfica pode se tornar o terceiro estrangeiro entre os últimos quatro técnicos do Galo. Afinal, antes de Cuca retornar ao clube em 2021, o venezuelano Rafael Dudamel e o argentino Jorge Sampaoli haviam sido contratados no ano anterior.

Uruguaio teve passagem mais marcante

Se chegar à Cidade do Galo, Jorge Jesus terá a missão de repetir o ano vitorioso de Cuca e romper o histórico negativo de treinadores estrangeiros no Atlético. Até aqui, o comandante nascido fora do país com passagem mais marcante pelo clube foi o uruguaio Ricardo Diez.

Com três passagens, em 1950/51, 1955/56 e 1958, e 171 jogos disputados, ele foi o técnico do Atlético na excursão pela Europa, em 1950, que ficou eternizada no hino do clube com o título de “Campeão do Gelo”.

Diez foi um dos seis treinadores nascidos no Uruguai a comandar o Galo. Nenhum outro país, além do Brasil, teve tantos profissionais à frente do time alvinegro. Entre eles, estão Felix Magno, bicampeão mineiro em 1946 e 1947, o ex-zagueiro Olivera e Dario Pereira, responsável por comandar o Atlético na parte de sua campanha do vice-campeonato brasileiro de 1999.

O uruguaio que teve passagem mais recente pela Cidade do Galo foi Diego Aguirre, com 31 jogos disputados na temporada 2016.

Os 13 técnicos estrangeiros que passaram pelo Atlético são de seis nacionalidades diferentes. Além de treinadores que vieram da Hungria, do Uruguai, da Argentina e da Venezuela, a equipe foi orientada por um peruano e um paraguaio.

Os técnicos estrangeiros da história do Atlético:

  • 1928 e 1931: Eugenio Marinetti Medgyessy (Hungria)
  • 1944: Gregório Suarez (Argentina)
  • 1945: Ignác Amsel (Hungria)
  • 1946 a 48: Felix Magno (Uruguai)
  • 1947: Dario Letona (Peru)
  • 1950 a 51, 1955 a 56 e 1958: Ricardo Diez (Uruguai)
  • 1954 a 55: Ondino Vieira (Uruguai)
  • 1967 a 68: Fleitas Solich (Paraguai)
  • 1985: Olivera (Uruguai)
  • 1999: Dario Pereyra (Uruguai)
  • 2016: Diego Aguirre (Uruguai)
  • 2020: Rafael Dudamel (Venezuela)
  • 2020 a 2021: Jorge Sampaoli (Argentina)

Fonte: Hoje em Di

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.