Pavón a caminho: objetivo do Atlético-MG é “esfriar” tema para reforço ter saída tranquila do Boca

Galo segue negociação por pré-contrato para jogador chegar livre em julho.

Cristian Pavón será jogador do Atlético-MG em julho, se assim ele desejar. A proposta do Galo já foi realizada para o atacante argentino. A situação está encaminhada, ainda que não seja 100% concretizada. O clube toma cuidado com o tema, tudo para tentar não conturbar a saída do Kichan do Boca Juniors.

Há uma preocupação do Atlético de deixar o tema mais frio, e não atiçar ânimos tanto da própria direção do Boca, como da própria torcida do clube de Buenos Aires, que poderia criar um ambiente hostil para o jogador de 25 anos. Pavón tem menos de cinco meses de contrato na Bombonera, e já poderia assinar pré-acordo com qualquer vínculo.

No Boca, inevitavelmente, haverá o gosto amargo de perder Pavón de graça, após o jogador ter direitos fixados no Los Angeles Galaxy por 20 milhões de dólares, no fim de 2020

A diretoria do Galo mapeia nomes interessantes em fim de contrato. El Kichan é mais um alvo nessas condições. Foi assim com Ademir e Otávio (que chega primeiro por empréstimo). Em outras nuances, Diego Godín também virou contratação após o Atlético saber que ele estava de saída do Cagliari.

Cristian Pavón, entretanto, tem duas situações que o Atlético analisou antes da investida. Primeiro, foi acusado de crime sexual na Argentina. O Galo teve acesso a uma investigação dos autos do processo, e recebeu convicções de que o jogador é inocente das acusações.

Segundo, e ironicamente, Pavón tem seis jogos a cumprir de suspensão na Libertadores 2022, após punição da Conmebol quando ele foi um dos baderneiros do Boca no Mineirão, na eliminação das oitavas de final diante do próprio Atlético. Sobre o gancho, que cabe recurso ao TAS, fontes consultadas pelo ge acreditam que dificilmente ele será anulado ou reduzido.

Então, há dois caminhos. O Boca poderia inscrever Pavón na Libertadores, mesmo fora dos planos, e ele cumprir a penalização na fase de grupos. Ou, então, Pavón seria reforço do Galo em julho só podendo atuar, eventualmente, em uma final do torneio.

Foi examinado tudo. Sobre o envolvimento dele, fizemos uma análise peremptória. (Não encontramos) nada que pudesse comprometer o jogador. Sabemos que há os seis jogos de suspensão. Nós estamos analisando ainda. Recorrer na Conmebol não dá. Eles se reúnem numa sala, três sozinhos que decidem. É complicado. Estamos acompanhando – disse o vice-presidente do Galo, José Murilo Procópio, ao canal no Youtube do jornalista Breno Galante.

Fonte: ge.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.