Aracajuzeiros: a torcida do Cruzeiro idealizada a partir da idolatria de um sergipano por Alex Alves

Bruno Carvalho nasceu em família flamenguista e sem qualquer ligação com Belo Horizonte, mas se apaixonou pela Raposa no fim da década de 1990, graças à camisa azul e ao atacante baiano.

O Cruzeiro tem torcedores espalhados pelo mundo inteiro. Muitos movidos pela paixão que herdam do pai, da mãe, dos tios ou dos avós. Em Aracaju, onde o time enfrentará o Sergipe nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil, tem um pouco de cada na torcida Aracajuzeiros. Mas a história de um dos fundadores do reduto se difere desse enredo.

Bruno Carvalho é sergipano de Aracaju. Nasceu em 1990, em uma família inteira de flamenguistas. Naquele ano, o time carioca tinha vencido a Copa do Brasil e vinha de conquistas recentes da Libertadores, do Mundial e de edições do Campeonato Brasileiro. Contexto mais do que favorável para se formar mais um torcedor.

Mas Bruno nunca teve sequer empatia pelo Flamengo. Criança e apaixonado por futebol, gostava de assistir jogos de diversos times, até que um atacante baiano, nascido a 530 quilômetros distante de Aracaju e vestindo a camisa azul e branca com cinco estrelas soltas no peito, chamou atenção do menino.

“Meu primeiro grande ídolo foi Alex Alves. Fui assistir um jogo do Cruzeiro contra o Colo-Colo, tinha sete anos, e o Alex Alves fez dois gols”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.