Análise: América-MG pressiona, vê filme se repetir no final, mas respira aliviado com empate

O filme parecia se repetir no Independência. O América-MG pressionou durante os 90 minutos, teve volume de jogo, chegou perto do gol adversário por várias vezes, e no fim da partida viu o adversário ter a chance do jogo.

O Barcelona de Guayaquil poderia ter saído de BH com o placar de 1 a 0, assim como Guaraní-PAR na última semana. Mas quem escreveu o enredo desta história quis que fosse diferente. Garcés errou o pênalti que daria a vitória ao time equatoriano e deixou o campo chorando. Ficam o alívio e as lições para o Coelho.

O Barcelona de Guayaquil poderia ter saído de BH com o placar de 1 a 0, assim como Guaraní-PAR na última semana. Mas quem escreveu o enredo desta história quis que fosse diferente. Garcés errou o pênalti que daria a vitória ao time equatoriano e deixou o campo chorando. Ficam o alívio e as lições para o Coelho.

O Barcelona de Guayaquil poderia ter saído de BH com o placar de 1 a 0, assim como Guaraní-PAR na última semana. Mas quem escreveu o enredo desta história quis que fosse diferente. Garcés errou o pênalti que daria a vitória ao time equatoriano e deixou o campo chorando. Ficam o alívio e as lições para o Coelho.

Fonte: ge.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.