Campeonato Mineiro: Paulo Pezzolano pode se tornar primeiro técnico estrangeiro a ser campeão pelo Cruzeiro

Quando chegou à Toca II, em janeiro deste ano, Paulo Pezzolano prometeu que o Cruzeiro seria uma equipe “protagonista” e “ganhadora”. Em termos de Campeonato Mineiro, falta apenas um jogo para transformar a tese em realidade. E caso consiga superar o Atlético, atual bicampeão estadual, o uruguaio se tornará o primeiro treinador estrangeiro a conquistar um título pelo clube celeste.

Antes de Pezzolano, outros três técnicos gringos comandaram o time, e nenhum de seus predecessores teve sucesso.

O primeiro estrangeiro a dirigir a equipe estrelada foi o compatriota Ricardo Díez. Em 1953, o uruguaio acumulou cinco triunfos, três empates e cinco derrotas pelo Cruzeiro.

O argentino Filpo Nuñez também comandou os azuis, só que em 1955 e 1970. Foram 12 vitórias, sete igualdades e 11 reveses pelo clube mineiro, contando as duas passagens.

Somente em 2016 foi que o Cruzeiro contratou um novo técnico estrangeiro, o português Paulo Bento. Ao todo, teve seis vitórias, três empates e oito derrotas pelos celestes.

História diferente

Ao contrário dos outros três estrangeiros, Paulo Pezzolano vem recebendo elogios da diretoria, de seu elenco e da torcida, por recolocar a Raposa em uma decisão de Mineiro, após três anos (em 2019, o Cruzeiro superou o Atlético na final), e levar o time à terceira fase da Copa do Brasil.

Até agora, ele soma 11 vitórias, um empate e três derrotas, aproveitamento de 75,5%.

Suspensão

O irônico é que Pezzolano pode não comandar o Cruzeiro na final. Por conta da confusão no clássico diante do Atlético, em 6 de março, pela nona rodada do Campeonato Mineiro, o técnico terá que cumprir suspensão de quatro partidas. A Raposa ainda tenta um efeito suspensivo para o treinador.

Fonte: Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.