Série B: Cruzeiro tenta aproveitar ótimo momento para encerrar tabu contra clubes alagoanos

Líder da Série B do Campeonato Brasileiro, com 25 pontos, seis a mais que o segundo colocado, o Bahia, e 11 de vantagem sobre o quinto, o Grêmio; dono de 83,3% de aproveitamento; detentor da segunda melhor defesa da competição, com quatro gols sofridos, um a mais que o Vasco; invicto há nove rodadas… Enfim, o Cruzeiro está “sobrando” no torneio. Momento propício para derrubar um tabu.

Nesta quarta-feira (8), às 19h, no Mineirão, diante do CRB, o time celeste tenta dar mais um passo importante na busca pelo acesso à Primeira Divisão. E, de quebra, voltar a vencer um clube alagoano, algo que aconteceu pela última vez em 15 de março de 2017, quando bateu o Murici, por 3 a 0, no Gigante da Pampulha, pela Copa do Brasil.

Desde então, os celestes não conseguiram mais superar um time daquele estado: foram duas derrotas e quatro empates ante o CRB e quatro reveses e duas igualdades contra o CSA.

Esse jejum gerou uma série de provocações e piadas por parte dessas duas equipes alagoanas. O episódio mais famoso se deu no segundo turno do Brasileirão de 2019. Na véspera do embate com o CSA, o então meia cruzeirense Thiago Neves enviou uma mensagem ao dirigente Zezé Perrella, pedindo para colocar os salários do elenco em dia no famoso episódio intitulado “Fala, Zezé!”.

A Raposa perdeu por 1 a 0 para o adversário, em pleno Mineirão, e Neves desperdiçou uma penalidade, o que representou o fim de seu ciclo na Toca. Ao término do campeonato, os celestes foram rebaixados à Série B. E, nas edições 2020 e 2021 da Segundona, a equipe mineira não obteve êxito diante dos alagoanos.

Lembrança

A última vez que o Cruzeiro venceu o CRB foi em 22 de março de 2006, quando ganhou por 2 a 0, no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela Copa do Brasil. Nesta quarta, o time azul tenta voltar ao caminho dos triunfos contra os alagoanos.

Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.