Série B: Líder Cruzeiro recebe o lanterna Vila Nova para duelo de extremos no Mineirão

A última vez em que o Cruzeiro foi derrotado pelo Vila Nova foi no dia 5 de maio de 1999,  por 2 a 1, em Goiânia, em jogo válido pela Copa Centro-Oeste. Na Série B, os times se enfrentaram apenas duas vezes, em 2021, com empate nas duas partidas. Nos oito jogos do histórico entre as equipes, ampla vantagem da Raposa, com oito vitórias, três empates e apenas uma derrota.

Mesmo com os 22 pontos de diferença entre Raposa e Tigre, o retrospecto favorável à equipe mineira e a boa fase do Cruzeiro, o técnico Paulo Pezzolano disse em entrevista que este não será um jogo fácil. Ele entende que um grupo que está em último lugar na tabela tende a entregar raça e ir em busca da vitória.

“Necessitamos lotar o estádio no próximo jogo, é o mais difícil para nós. Vila Nova está no fundo da tabela, vai deixar a vida, vai ser o jogo do ano deles. Vão tentar salvar o ano neste jogo”, declarou Pezzolano, após a vitória sobre o Sport.

Escalação

O treinador celeste tem feito mudanças na equipe. No último jogo, por exemplo, Pezzolano começou a partida com Daniel Jr e Luvannor, jogadores que não são considerados titulares. A troca deu resultado, e Daniel Jr foi o autor do gol da vitória.

“Nós temos aqui uma competitividade muito sadia durante o dia a dia. Todos nos trabalhamos forte, trabalhamos na ideia que o professor Paulo pede. A gente tem que estar sempre preparado para quando a oportunidade surgir, a gente ir lá e corresponder bem. Foi o que aconteceu no último jogo”, ressaltou Luvannor, que pode surgir novamente entre os 11 diante do Vila Nova.

O atacante concordou com a opinião do treinador sobre a importância da partida. Ele destacou que o Vila Nova vai entrar muito motivado, mas não mais do que o elenco celeste, que encara o duelo como uma “final”.

“Esse, sem dúvida, é um dos jogos mais difíceis que vamos ter. Esse tipo de jogo se tornou um dos mais difíceis porque é uma equipe que quer sair da situação que está, e com certeza, a motivação deles é maior. Mas nós não podemos deixar que seja maior do que a nossa. Nós temos que encarar esse jogo como se fosse o jogo do acesso, uma final”, revelou Luvannor.

Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.