Dificuldade: Delegação do Cruzeiro sofreu com intoxicação durante a preparação para jogo diante do Bahia

O clube foi preparado levando a própria água e buscou evitar, ao máximo, o uso de água local. Mesmo assim, parte dos funcionários do clube apresentou problemas ao chegar em Belo Horizonte. Na sexta (22), o clube não treinou porque parte dos jogadores estavam passando mal.

Um dos que mais sofreu foi justamente o destaque da partida. Rafael Cabral, que fez excelentes defesas ao longo do jogo para garantir a vitória, só teve sua escalação definida após o trabalho de aquecimento, poucas horas antes do jogo.

Na coletiva após o jogo, o auxiliar técnico do Cruzeiro, Martin Varini, falou que mais da metade do elenco sofreu com problemas gastrointestinais. Lucas Oliveira e Fernando Canesin não tiveram condições de jogo. Além dos jogadores, alguns funcionários do clube também não conseguiram ir trabalhar no sábado.

Após o jogo, Rafael Cabral não deixou de exaltar o trabalho feito pela equipe médica do Cruzeiro. O goleiro nem voltou para casa e ficou na Toca da Raposa II fazendo tratamento na sexta.

“Não posso deixar de agradecer os médicos, o nosso enfermeiro que ficou a manhã toda aqui comigo, me ajudando, me dando soro. A gente tem um sonho e a gente vai fazer de tudo pra realizá-lo. Teve vários jogadores, não foi só eu. Teve sete, comissão técnica”, disse o goleiro.

Martin Varini também falou que, até a manhã do sábado, não sabia quais jogadores teriam condição de jogo. Por isso, o clube não divulgou lista de relacionados para partida.

Hoje em Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.